5 curiosidades sobre a História do Brasil que você talvez não saiba

História do Brasil - Enem e Vestibulares | Manual do Enem

O mês de abril é o do "descobrimento" do Brasil. Em 1500, navegadores portugueses chegaram ao que futuramente seria chamado de Brasil.

É fundamental saber a história do Brasil para compreendermos os acontecimentos de hoje. Por isso, listamos 5 curiosidades sobre a nossa história que talvez você ainda não saiba.



1 - Eleições


Antigamente uma pessoa podia se candidatar a todos os cargos políticos.

Por exemplo, ao renunciar, Getúlio Vargas disputou todos os cargos: deputado federal, estadual, vereador e senador.

Ganhou em todos, mas só podia assumir um. No período Dutra, Vargas se tornou senador do Brasil.

Uma questão interessante do sistema eleitoral dessa época era que os eleitores brasileiros também votavam separadamente para vice-presidente.


Esse sistema fez com que, em ocasião específica, fossem eleitos presidente de uma chapa e vice-presidente de outra.

Em 1960, o vice-presidente eleito foi João Goulart, que concorria pela chapa de Henrique Teixeira Lott. Com isso, o presidente Jânio Quadros era da UDN, e o vice João Goulart era do PTB.


2 - Linguagem


Atualmente, mais de 160 línguas e dialetos são falados pelos povos indígenas no Brasil. Elas integram o acervo de quase sete mil línguas faladas no mundo contemporâneo (SIL International, 2009).

Mais de 1.000 línguas eram faladas no Brasil antes do "descobrimento".

Em meio a essa diversidade, apenas 25 povos têm mais de cinco mil falantes de línguas indígenas: Apurinã, Ashaninka, Baniwa, Baré , Chiquitano, Guajajara, Guarani (Ñandeva, Kaiowá, Mbya), Galibi do Oiapoque, Ingarikó, Huni Kuin, Kubeo, Kulina, Kaingang, Mebêngôkre, Macuxi, Munduruku, Sateré Mawé, Taurepang, Terena, Ticuna, Timbira, Tukano, Wapichana, Xavante, Yanomami, e Ye'kwana.

3 - Capital da Europa fora da Europa 


O Rio de Janeiro já foi a capital do Império Português, o que faz da cidade a primeira e única capital europeia fora da própria Europa.

 O Rio de Janeiro tornou-se capital da colônia portuguesa em 1763. E em 1808, tornou-se sede de todo o império português, que incluía Angola e Moçambique, na África; Goa, na Índia; Timor, Sudeste Asiático; e Macau, China.



4 - Um país construído com a escravidão 


Brasil e Portugal estão no topo de um ranking que não traz nenhum motivo de orgulho: os dois países são os maiores protagonistas do site Slave Voyages (em inglês, viagens escravas), onde estão catalogadas 29 mil travessias transatlânticas, que carregaram 9 milhões de escravos.

No total, barcos com bandeira de Portugal/ Brasil chegaram a transportar 5,8 milhões de escravos.

Em segundo lugar no número de escravos comercializados para a América, está o Reino Unido, com 3,3 milhões de 
escravos, especialmente com destino à Jamaica.

A estimativa atual aponta que 45% dos escravos em direção à América vinham ao Brasil. Isso significa 5,5 milhões de negros trazidos à força para o país.

Segundo os cálculos, 12% deles não desembarcaram aqui –estima-se que mais de 660 mil morreram antes do fim da viagem.

5 - Bandeiras 


O Brasil já teve 13 bandeiras ao longo da sua história. A bandeira atual representa o país desde 1889, projetada por Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos.

Por mais de um século, as cores que representavam nosso país eram o branco e o vermelho. Isso porque, até 1645, o Brasil utilizava os mesmos símbolos nacionais que nossa metrópole, Portugal, sendo comum encontrar nas bandeiras anteriores brasões, coroas e escudos que representavam a família real portuguesa.

O verde e o amarelo só passou a ser usado após a Independência do Brasil, em 1822. Foram adotadas, então, as cores das duas Casas que originaram o Brasil independente: o verde representava a Casa de Bragança, de dom Pedro 1º de Portugal, e o amarelo representava a Casa de Habsburgo, de Maria Leopoldina, da Áustria.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.