Postagens
recent

ENEM 2018: Veja +6 possíveis temas de redação




 O ENEM 2018 está chegando e bate aquele friozinho na barriga para saber qual será o tema da redação esse ano. Abaixo segue algumas opções do que pode cair e um breve resumo sobre cada um. Bons estudos!!


1. A população em situação de rua no Brasil




 De acordo com o relatório do primeiro Encontro Nacional Sobre População em Situação de Rua, realizado em 2005, a caracterização da população em situação de rua ficou estabelecida como: grupo populacional heterogêneo, composto por pessoas com diferentes realidades, mas que têm em comum a condição de pobreza absoluta, vínculos interrompidos ou fragilizados e falta de habitação convencional regular, sendo compelido a utilizar a rua como espaço de moradia e sustento, por contingência temporária ou de forma permanente.



 O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ocorreu entre 2007 e 2008 uma pesquisa e descobriu-se que há pelo menos 31.922 indivíduos que usam as ruas como moradia (na pesquisa não consta as capitais São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre). Entre a população em referência predominam as pessoas do sexo masculino (82%), com idade entre 25 e 44 anos (53%) e que nunca estudaram ou não concluíram o ensino fundamental (63,5%). Em relação à cor, 39,1% são pardos, 27,9% negros, 29,5% brancos, 1,3% indígenas, 1% amarelo oriental e 1,2% de cor não identificada.



 O Plano Nacional para a População em Situação de Rua, instaurado em 2009, não tem sido o bastante para levar educação, saúde, moradia e dignidade para essas pessoas. As Organizações Não Governamentais (ONGs) e Instituições Religiosas acabam se destacando nesse trabalho já que as políticas públicas até agora têm sido ineficazes.

 

2. O voto como instrumento de mudança social




 O voto é um exercício da cidadania e tem o poder de transformar política e socialmente a vida dos cidadãos que moram em um determinado território.



 No Brasil, o voto surgiu com o processo de colonização. Em 1532 ocorreu a primeira eleição para a Câmara Municipal de São Vicente. A 1ª Constituição brasileira, elaborada por Dom Pedro I, determinava o voto censitário, ou seja, era baseado nos rendimentos pessoais o que afastava a maioria das pessoas. Com a Proclamação da República, o presidente passou a ser escolhido pela população sendo Prudente de Morais o primeiro eleito. Contudo, ele ainda não era um direito de todos, mulheres, analfabetos, mendigos, menores de 21 anos, soldados, indígenas e integrantes do clero eram impedidos.



 Depois de golpes como de Vargas e dos militares, instalou-se em 1988 a Constituição a Atual, jovens acima de 16 anos, analfabetos e maiores de 70 anos ganharam direito facultativo ao voto. Através dele, o eleitor pode escolher as pessoas que o representarão nas instituições políticas por um determinado período. Por isso, a escolha deve ser feita de maneira consciente analisando as propostas, viabilidade de aplicação e o histórico político do candidato.

3. Os algoritmos e a privacidade online




 Os sistemas digitais estão cada vez mais eficientes, mas para isso eles necessitam das informações que a gente fornece – muitas vezes sem saber. A maioria dos sites possuem "cookies" que são pequenos arquivos que armazenam nossas informações cada vez que acessamos um site, já os aplicativos e redes sociais possuem captam nossas preferências identificando por onde a gente passa na internet e o que a gente conversa.



 Durante a campanha eleitoral norte-americana de 2016, a empresa Cambridge Analytica cometeu usou ilegalmente dados de 87 milhões de usuários do Facebook para influencias as eleições. Não é atoa que a revista The Economist afirmou que os dados são "o novo petróleo" do século 21 por ter valor e influência na economia digital.

4. O esporte como ferramenta de inclusão social




 O esporte proporciona benefícios para a saúde mental, física e acesso a novos ciclos sociais, fazendo com que as pessoas envolvidas tenham uma ocupação e se divirtam. Os programas sociais ligados ao esporte são fundamentais para manter os jovens, principalmente os que vivem nas comunidades carentes, longe da criminalidade.



 Um exemplo da importância do esporte na mudança de perspectiva desses jovens é a medalhista de Ouro dos Jogos Rio 2016, a judoca Rafaela Silva, que reside na favela Cidade de Deus e que conheceu o judô por causa de uma ONG que promove a inclusão social através de alguma atividade física.


5. Desafios para redução do assédio




 As redes sociais têm sido um instrumento fundamental na denúncia de casos de assédio, seja moral ou sexual. Recentemente vimos os movimentos do #MeToo e "Time's Up" em que artistas se manifestaram contra o assédio relatando casos sobre o produtor cinematográfico norte-americano Harvey Weinstein e outros homens dessa indústria.



Definição:

 Assédio constitui-se em perseguição insistente e inconveniente que tem como alvo uma pessoa ou grupo específico, provando desconforto na vítima podendo fazer com que esta desenvolva traumas. O assédio moral é um tipo de violência em que a pessoa é constantemente humilhada enquanto que o assédio sexual se caracteriza pelo ato de constranger alguém com finalidades sexuais, onde há o uso da posição de poder.



 Não se deve porém confundir assédio sexual com a famosa paquera, pois o primeiro é um ato não consentido, ou seja, não se trata de um elogio, mas de uma relação de poder em que deixa a vítima em uma posição em que fica difícil denunciar. Em 2014 a ONG Think Olga lançou a campanha "Chega de Fiu Fiu" em que o argumento central era falar que as famosas "cantadas" na rua se tratam de intimidação. O que acontece é que há uma invasão ao espaço da mulher, o corpo dela é visto como algo público em que pode ser visto, tocado provocando medo, constrangimento e vergonha.


6. A importância da educação na construção de uma sociedade




 Em 2018 comemora-se 20 anos da criação do Enem. A data poderia ser usada como um tema da redação abordando os aspectos da educação brasileira como o que já melhorou até agora e formas de se aprimorá-la.



 O candidato pode fazer uma avaliação do seu dia a dia na escola, como, por exemplo a violência (colégio localizado em área de risco), greves, salário baixo para os professores, falta de material escolar, entre outros.



 Além disso, é possível fazer uma reflexão de como a PEC 241 (ou 55), a PEC do teto para gastos públicos, pode afetar a situação que já é crítica. A iniciativa proposta pelo governo tem como objetivo frear a trajetória de crescimento dos gastos públicos (como a educação e a saúde) congelando as despesas por até 20 anos. Para completar ainda existe o projeto "Escola Sem Partido" que busca uma "neutralidade", "isenção" ao passar o conteúdo podendo eliminar assim a construção do senso crítico dos alunos e discussão no ambiente escolar.


Fontes: Brasil Escola, Super Vestibular, Mundo Vestibular e Foco no Enem.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.